Figura central do novo cinema taiwanês, Hou Hsiao-Hsien, nascido na China e criado em Taiwan, iniciou sua carreira como diretor em 1980. Dos primeiros filmes mais comerciais, passou para os de memórias pessoais e outros sobre a memória de seu país de adoção, chegando atualmente a um estilo visual e narrativo dos mais sofisticados da história do cinema. Tais filmes conferiram a Hou Hsiao-Hsien o reconhecimento da crítica e das curadorias de importantes festivais e vêm, desta forma, consagrando o cineasta como um dos maiores mestres da cinematografia mundial contemporânea.

Ao realizar Hou Hsiao-Hsien e o cinema de memórias fragmentadas, o Centro Cultural do Banco do Brasil reconhece a importância desse cineasta e proporciona ao público de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília a oportunidade de conferir toda a sua filmografia, em retrospectiva que abarca 17 filmes em longa-metragem – todos títulos inéditos no circuito comercial brasileiro –, além do curta-metragem O bonecão do filhinho(Son's Big Doll/Er zi de da wan'ou) , que integra O homem sanduíche (The Sandwich Man/ Er zi de da wan'ou, 1983), um dos filmes-chave na renovação do cinema taiwanês.

A mostra constitui oportunidade para os que procuram acompanhar o desenvolvimento do audiovisual contemporâneo e conferir propostas instigantes e de grande apuro estético.

Centro Cultural Banco do Brasil




TOPO

Realização